Eu recomendo Super Bonder

Estranho falar sobre a quantidade de sonhos que se tem… quer dizer,  mais do que dos sonhos , das projeções e  das imaginações.

Se por um lado ser uma pessoa imaginativa traz a possibilidade de inventar e reinventar , de criar e de fazer acontecer, por outro, também se projetam ansiedades,  antecipam-se os medos e vive-se  um pouco além do presente – antecipando um futuro que provavelmente não será  – já que só o presente é.

Isso não é  a proclamação do  fim do  sonho. Alto lá!!! É apenas um motim a favor do  fim do medo do que não aconteceu e pelo último suspiro das projeções  imaginárias que bloqueiam.

É por isso que antes de mais nada , é chegada a hora de usar o Super Bonder e grudar os meus pés no chão pra observar direito onde estou.  Claro, não é um grude  que me proiba de caminhar – é só algo capaz de coibir que eu voe e perca minhas raízes, perca meu norte.

Sim, eu  recomendo Super Bonder, leve um no bolso!  Sonhe, sonhe, sonhe muito, mas na hora que começar a ter pesadelos grude os pés  em terra firme. Não é preciso temer  ou sofrer por antecipação.  

Nem é tão fácil assim de se praticar… mas tentar já é uma arte!

No dia em que fizemos as pazes,

Era um lugar escuro, penumbra na verdade e por cerca de meia hora *ou mais* eu ficava lá totalmente só, primeiro ouvindo meu coração e depois contemplando um vivo espetáculo  como num audio-livro…  mas há algo da poesia de Zeca Baleiro aí.

Não estava em frente as luzes da ribalta, estava atrás na meia luz, atrás das cortinas. Confesso que nunca imaginei que estar atrás pudesse me fazer tão bem, tão bem.   

De repente, reparei que a solidão não era mais vazio,  que estar junto a mim me agrava de maneira tão sublime, tão inesperada… apenas uma sensação de sentir bem, de não ter culpa, nem dívidas consigo mesmo. Sensação impagável (literalmente) e atingível em qualquer lugar do mundo.   Justo!

Foi aí que percebi que eu e minha alma estamos de bem.  Não há nada tão imprescindível e maravilhoso  quanto fazer as pazes com a própria alma.

Isso não é uma apologia ao fim da auto-crítica, é só um momento diplomático entre o que há dentro de nós.

As palavras lavam

Há dias em que resta a escrita como porto seguro.

Não se pode ver arco-íris todos os dias da vida, mas mesmo em dias de tormenta resta algo que mostra um feixe de luz, assim é a escrita para este ser que escreve, mas cada um deve ter seu porto seguro… de livre escolha.

Escrever pra mim é como limpar a alma, sem desperdiçar as alusões a sabões em pó… a escrita é o que deixa mais branco, é o desencargo, é o alívio, a poesia, o recado, enfim, é faxina do espírito.

Escrever pode tornar dias beges mais iluminados… coloco aqui a escrita, mas poderia ser qualquer outra expressão. Digamos que hoje estou num dia empoeirado,  mas sempre há a escrita que diz que tudo se lava. UFA!

 Há também aquele som amigo do telefone … é bom respirar o ar que vem de fora:  é escrita, se lava a alma é escrita.  É a escrita da vida e com essa podemos  fazer a cor do dia.

– ao meu lado e dentro de mim –

Certo dia estive pensando sobre as pessoas que quero ao meu redor, estranho pensar sobre isso – realmente não é algo em que pararia para pensar- mas parei.

Acho que o pensamento vem de uma sede absurda por gente de verdade, gente que cai e levanta (sem fingir que fazia parte da coreografia), gente que ri porque acha graça e que chora quando dói ou se emociona, enfim, gente.`

Às vezes é difícil ser gente, eu mesma admito, talvez por conveniência sobrevivamos plastificados… mas fato é que não somos de plástico, embora muitos acreditem nisso.

Pensei sobre as pessoas que quero ter ao meu lado e,  seguramente,  não são as que vêm envoltas em plástico bolha, nem as que ficam prontas em 3 minutos. Eu quero gente que não é produto, que não é instantânea…já basta a efemeridade da vida em seu todo.

 EU QUERO OS QUE FICAM POR DENTRO, os que marcam as entranhas, a alma com seu poder de gente e, claro, eu também quero ficar – quero ser parte do outro, quero existir com ele, estar dentro das suas veias.

 

E disso tudo…. que fique claro apenas que o plástico não é orgânico- ele não ficará dentro de ninguém.